A queda do supercilio é uma condição pouco identificada pelo paciente. O portador de ptose do supercilio geralmente procura o cirurgião oculoplástico com queixas de excesso de pele palpebral, olhar triste e cansado e bolsas palpebrais.

Existem varias opções de tratamento que variam conforme o tipo da ptose e necessidades de cada paciente. A correção temporária pode ser obtida com toxina botulínica. Entre as opções cirúrgicas há técnicas transpalpebrais, técnicas com incisão camuflada no couro cabeludo, endoscópica e ressecções diretas. Em qualquer técnica o cirurgião oculoplástico busca o melhor efeito com o mínimo de cicatrizes.

A maioria das técnicas permite associação de procedimentos para o tratamento das rugas perioculares, melhorando o efeito estético da cirurgia.

Os principais riscos da cirurgia de elevação do supercílio são sangramento, infecção, assimetria, cicatrizes, hipo ou hipercorreção. Em alguns casos podem ser necessárias cirurgias complementares.

Para maiores informações, consulte seu cirurgião oculoplástico ou envie sua mensagem para sbcpo.secretaria@gmail.com

Dra. Tatiana Nahas

Dra. Tatiana Nahas

Oftalmologista

Residência Médica em Oftalmologia pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo; Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.