A toxina botulínica (Botox) é uma neurotoxina que inibe a ação muscular. Em 1980, um oftalmologista chamado Alan Scott publicou o primeiro relato demonstrando a eficácia da injeção de toxina botulínica para tratamento de estrabismo em humanos.

A partir daí, vários estudos foram conduzidos e demonstraram a eficácia da toxina para tratamento de doenças como distonias, quadros espásticos, hiperidrose e enxaqueca. Em meados da década de 80, um casal de médicos (oftalmologista e dermatologista), Carruthers e Carruthers, observou que pacientes tratados com aplicação de toxina botulínica para blefaroespasmo essencial apresentaram atenuação das rugas glabelares.

Desde então, muitos estudos foram conduzidos para avaliar o uso estético da toxina. Atualmente, a aplicação de toxina botulínica constitui o procedimento estético mais realizado mundialmente, e pode ser realizado isoladamente ou combinado a outros procedimentos minimamente invasivos, como preenchimentos, laser, ou procedimentos cirúrgicos, visando o rejuvenescimento facial. A aplicação de Botox visa minimizar as rugas e linhas de expressão mais superficiais e atenuar as mais profundas. A duração do efeito é em média de 4 a 6 meses.

Os principais locais de aplicação incluem a região da testa, dos “pés de galinha”, região entre as sobrancelhas, rugas nasais, entre outros. É importante realizar o procedimento com médicos capacitados e experientes para evitar complicações e efeitos indesejados.

As principais complicações incluem: queda da pálpebra superior (ptose palpebral), diplopia ou visão dupla, dificuldade de fechamento palpebral, sorriso assimétrico, perda da expressão facial devido à aplicação em excesso, entre outras.

Apesar das complicações serem transitórias, elas podem causar grande transtorno ao paciente. Os estudos na literatura mostram que as pequenas doses de Botox usadas para tratamento estético são seguras e promovem alto nível de satisfação entre os pacientes. Para evitar complicações, só realize aplicação de Botox com médicos capacitados.

 

SBCPO

Tammy Osaki

Tammy Osaki

- 122.012/SP

Tammy Hentona Osaki, Professora Afiliada, Departamento de Oftalmologia – Divisão de Oculoplástica, Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (EPM/ UNIFESP). Doutorado pela EPM/ UNIFESP. Parte de seu Doutorado foi realizado na Harvard Medical School/ Massachusetts Eye and Ear Infirmary, Boston, EUA. Membro das Sociedades Brasileira (SBCPO), Americana (ASOPRS) e Ásia- Pacífico de Oculoplástica (APSOPRS). www.osakioftalmologia.com.br