blefaroplastia estruturada

Antes / Depois

A blefaroplastia, ou cirurgia estética palpebral, pode ser superior e/ou inferior. Esta é a clássica definição que encontramos, ou seja, uma cirurgia considerada redutora, em que se retira tecidos. Mas há alterações associadas aos excessos de pele e bolsas de gordura que podem ser detectadas. Destacam-se a microptose (posicionamento levemente abaixo da normalidade de uma ou ambas pálpebras superiores) e a flacidez ligamentar inferior (com a perda do “olhar amendoado”). Desta forma, o cirurgião foi progressivamente associando outros procedimentos como a conjuntivomullerectomia (CJM) para correção de microptose e a cantopexia para restabelecimento do “olhar amendoado”. Como estes procedimentos associados fortalecem músculos e ligamentos, esculpem tecidos e apresentam suturas especiais, é definida como blefaroplastia estruturada.

O que é Blefaroplastia Estruturada?

A blefaroplastia estruturada está mais alinhada com a evolução da blefaroplastia clássica e tem-se mostrado um tratamento que alcança ou até supera as expectativas do paciente.

Como forma de normatizar seu uso, convenciounou-se que a conjuntivomullerectomia e cantopexia seriam técnicas obrigatórias para configurar o termo “estruturada”, suas variações técnicas caberiam ao cirurgião e adicionalmente poderiam ser realizados procedimentos adjuntos.

 

blefaroplastia estruturada

Antes / Depois

O aspecto que mais difere as filosofias redutora e estruturada é que na segunda utiliza-se de procedimentos adjuntos, a conjuntivomullerectomia e a cantopexia para quando não há ptose nem ectrópio. O uso de CJM reforça diretamente a função do músculo de Muller e indiretamente da aponeurose do músculo elevador da pálpebra superior, elevando o MRD e proporcionando um olhar mais atento e altivo. Já a cantopexia reforça o retináculo lateral ou o tendão cantal lateral e proporciona uma estabilização e elevação do canto lateral visualmente deixando o “olhar amendoado”. Assim, o reforço dos suportes naturais das pálpebras superior e inferior permitem que sejam realizadas vigas de sustentação com o objetivo de manter as estruturas palpebrais como moldadas pelo profissional.

Entendemos que o paciente que se submete a uma blefaroplastia procura uma expressão mais atrativa e causar um impressão mais positiva, melhores oportunidades na vida, no trabalho e bem-estar pessoal, melhorar auto-estima, auto-confiança.

 

Assista o vídeo do nosso canal no YouTube sobre Blefaroplastia:

 

Leia também:

Filipe Pereira

Filipe Pereira

Secretário geral SBCPO - CRM-SC 7999

Mestrado e especialização em Plástica Ocular, Vias Lacrimais e Órbita pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP. Observational fellowship in ophthalmic plastic surgery – University of California of San Francisco. Diretor técnico da CCPO – Clínica Catarinense de Pálpebras e Olhos - Florianópolis. Secretário geral SBCPO.