Blefaroplastia Superior Associada Com Sutura de Brassiere

A dermatocálase superior é uma condição comum, geralmente associada ao envelhecimento, na qual a pele redundante (em excesso) das pálpebras superiores fica pendurada ou até mesmo ultrapassa os cílios.

A blefaroplastia superior, é um dos procedimentos cirúrgicos plásticos mais comumente realizados e indicada para tratar dermatocálase. No entanto, a remoção da pele da pálpebra, pode contribuir para a descida das sobrancelhas. Além disso, uma sobrancelha baixa e plana está associada à masculinidade, enquanto uma sobrancelha arqueada e com aumento no volume lateral está associada à feminilidade.

Existe uma técnica atual chamada sutura de brassiere (“sutura de sutiã”) que é associada a blefaroplastia superior. Essa técnica consiste na realização de 2 a 3 suturas do músculo orbicular (músculo abaixo da pele) ao periósteo do rebordo orbitário superior. Ao realizar essa sutura há uma melhora do contorno da sobrancelha, um aumento do seu volume e remodelação da gordura dessa região – o que promove uma aparência mais femilizante.

Realizamos um trabalho científico comparando pacientes que foram submetidos a blefaroplastia tradicional e os que associaram a sutura de brassiere. Esse estudo mostrou que as duas técnicas estão associadas a resultados favoráveis em mulheres submetidas a estas cirurgias estéticas.

Além disso, os resultados não sugerem que a sutura de brassiere seja mais eficaz que a blefaroplastia tradicional para estabilizar o supercílio. Ambas as técnicas podem ser auxiliares no fornecimento de uma aparência mais jovem em pacientes do sexo feminino submetidas à blefaroplastia.

 

Artigo completo

SBCPO

 

(A) Suturas de brassiere: sutura do musculo orbicular adjacente à borda inferior da pele ao periósteo no arcus marginalis e de volta ao orbicular; (B) Melhoramento do contorno das sobrancelhas e remodelação da gordura da sobrancelha.

Marisa Figueiredo

Marisa Figueiredo

Dra Marisa N. Figueiredo Rassi Oftalmologista – CRM-GO 15612 Residência Médica no Instituto de Olhos de Goiânia; Fellowship em Plástica Ocular, Órbita e Vias Lacrimais pela Universidade Federal de Goiás (CEROF)