Espasmos palpebrais: blefaroespasmo e espasmo hemifacial

O que é blefaroespasmo?

Blefaroespasmo essencial é uma doença que cursa com contrações involuntárias das pálpebras causando um fechamento forçado dos olhos e dificultando a realização de atividades diárias como ler, dirigir, trabalhar.

O que é espasmo hemifacial?

Espasmo hemifacial é um distúrbio do movimento facial, muitas vezes associado à compressão do nervo facial. Pacientes com esta condição apresentam movimentos involuntários (espasmos) e síncronos das pálpebras e dos músculos do mesmo lado da face.

Blefaroespasmo e espasmo hemifacial têm tratamento?

O tratamento de primeira escolha para essas condições é a aplicação de botox (toxina botulínica) nos músculos acometidos. A taxa de resposta é alta, porém o tratamento é temporário. Em geral, as aplicações devem ser repetidas a cada três meses.

Quais as contra-indicações para o tratamento com toxina botulinica?

A toxina botulínica é contra-indicada em indivíduos com hiper-sensibilidade conhecida a qualquer um dos componentes da fórmula, pacientes com distúrbios de transmissão neuromuscular (miastenia gravis e síndrome de Lambert-Eaton), gestantes e lactentes.

Os espasmos palpebrais afetam os olhos?

Estudos do nosso grupo de pesquisa demonstraram que os espasmos palpebrais podem alterar o exame de refração (exame que avalia o grau dos óculos) e a curvatura da córnea. Por isso, é importante realizar o tratamento dos espasmos palpebrais antes de avaliar o grau dos óculos e antes da cirurgia de catarata.

Associação do blefaroespasmo essencial com olho seco é muito comum e muitas vezes, estes pacientes necessitam usar lubrificantes oculares com frequência.

Pacientes com essas condições devem realizar acompanhamento periódico com o oftalmologista com expertise em Oculoplástica.


Veja também:


Acompanhe a SBCPO nas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube

Dra. Tammy H. Osaki

Dra. Tammy H. Osaki

CRM-SP 122.012 - RQE 39.119

Professora da Pós-Graduação e Afiliada, Chefe do Setor de Oculoplástica do Departamento de Oftalmologia da UNIFESP / EPM. Pós-Doutorado e Doutorado pela UNIFESP. Parte do seu Doutorado foi realizado na Harvard Medical School / MEEI, Boston, EUA. Membro da diretoria da SBCPO.