um olho mais fechado que o outro

Foto: Imagem de Freepik

Algumas pessoas notam que têm um olho mais fechado que o outro. Às vezes, essa diferença é mínima e quase não chama a atenção de outras pessoas, mas quem a apresenta, muitas vezes se sente incomodado(a) com esta assimetria, que costuma ser mais visível nas fotos.

Se este é o seu caso, provavelmente você tem ptose palpebral. Esta condição consiste na queda da pálpebra superior. O grau de ptose pode variar desde mínima, quando é essa queda é bem discreta, até graus maiores de queda palpebral, causando até mesmo obstrução da visão.

Quais as principais causas da ptose?

A ptose palpebral pode ser congênita ou adquirida e pode ser decorrente a diversas causas:

  • alteração na musculatura responsável pela abertura palpebral;
  • alteração na inervação;
  • afrouxamento do tendão do músculo levantador da pálpebra com a idade;
  • uso crônico de lentes de contato;
  • após inflamação ou trauma palpebral;
  • após cirurgia ocular;
  • secundária a doenças sistêmicas;
  • entre outras causas.

Quais os tratamentos?

O tratamento da ptose vai depender do tipo, grau de ptose e de uma avaliação minuciosa da sua pálpebra. Na maioria dos casos, o tratamento é cirúrgico. Para alguns casos, existem também tratamentos não cirúrgicos que podem ser uma alternativa. Graus leves de ptose palpebral, em geral, costumam ter boa resposta ao tratamento cirúrgico.

Você tem um olho mais fechado que o outro?

Se você se incomoda por ter um olho mais fechado do que o outro, procure um oftalmologista certificado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular. Ele(a) irá te orientar sobre quais as melhores opções terapêuticas no seu caso.


Leia também:


Acompanhe a SBCPO nas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube

Dra. Tammy H. Osaki

Dra. Tammy H. Osaki

CRM-SP 122.012 - RQE 39.119

Professora da Pós-Graduação e Afiliada, Chefe do Setor de Oculoplástica do Departamento de Oftalmologia da UNIFESP / EPM. Pós-Doutorado e Doutorado pela UNIFESP. Parte do seu Doutorado foi realizado na Harvard Medical School / MEEI, Boston, EUA. Membro da diretoria da SBCPO.